Seguidores

Loading...

quarta-feira, 19 de março de 2014

Um pouco mais sobre a visita do Governador



Assunto dominante nos blogs e redes sociais na semana passada, a visita do governador Eduardo Campos ganhou destaque nas nossas mídias. E não era para menos! Além de inaugurações, anúncios de novas obras, tivemos a visita de um presidenciável em nossa cidade. Os detalhes oficiais desta visita foram exaustivamente expostos nos blogs na última quinta. O que eu vou contar aqui, hoje, é o que a nossa imprensa local não quis falar, ou esqueceu de falar (com algumas exceções), sobre a visita do Governador a Bom Conselho: a ida à casa da ex prefeita Judith.

Surpreendente para alguns, mas para nós não, houve um contato do secretário Tadeu Alencar, homem de confiança do Governador, para a ex prefeita Judith Alapenha. Por telefone, ele perguntou se a ex prefeita poderia receber em sua casa o Governador Eduardo Campos. A resposta foi óbvia, e o governador nos deu o prazer e a honra de sua visita à nossa casa quando foi à Bom Conselho.

Diversos assuntos foram tratados. A ex prefeita aproveitou a oportunidade de receber o comandante do executivo estadual para pedir por Bom Conselho, sensibilizada com a seca que assola o nosso município. Conforme ofício abaixo, entregue em mãos ao Governador, a ex prefeita solicitou a construção de duas barragens de médio/grande porte nos sítios José Alexandre, em Logradouro dos Leões, e no sítio Angico, com a disponibilização de 400 horas/máquina para a execução do serviço. Solicitou ainda a "ligação" do sistema de água de Cachoeira do Pinto, que foi construído em sua gestão, mas até hoje não se encontra em funcionamento.

Clique para ampliar

Na oportunidade, a ex prefeita agradeceu pelas parcerias firmadas entre o Governo do Estado e o município quando era gestora. Vale aqui lembrar a luta e o esforço da ex prefeita, ressaltada na fala de Almir Cirilo no Parque de Exposições, na conquista da obra de reconstrução do Açude da Nação. Foram dois anos de esforço, com a felicidade de ter iniciado a obra ainda na sua gestão esta importante obra, inaugurada na última quinta. A ex prefeita agradeceu também pela obra da Escola Técnica em Bom Conselho, um pedido seu já no primeiro ano de gestão, que foi possibilitado pelo esforço dela. Doou o terreno e regularizou a situação para que a escola fosse iniciada. E vale ainda lembrar daquela que foi talvez a maior conquista para a ex gestora: a construção da estrada de Rainha Izabel. Judith relembrou o esforço que foi viabilizar esta obra, primeiro conseguindo o projeto executivo, depois a licitação e finalmente o início dos trabalhos, numa luta de quase três anos. Agradeceu ao Governador pela sensibilidade de ter atendido, na época, à sua solicitação.

Na conversa reservada que tiveram, a ex prefeita reafirmou seu compromisso e sua lealdade ao Governador, como também ao seu projeto de continuar mudando Pernambuco. Afirmou que vai votar e fazer campanha para o pré candidato a governador Paulo Câmara, como também no pré candidato a senador Fernando Bezerra Coelho. Na mesma oportunidade, colocou à disposição do Governador a escolha sobre os candidatos a deputado Federal e Estadual que serão apoiados por ela em Bom Conselho. O Governador apresentou a ex prefeita o nome do pré candidato a deputado estadual Lucas Ramos. Em conversa entre os três, a prefeita pediu o mesmo empenho e dedicação à Bom Conselho que o Governador teve por parte do futuro deputado. A definição do candidato a deputado Federal que será apoiado pela ex prefeita será tomada em conversa entre ela e o Governador, ainda a ser agendada, em Recife. Entretanto, a ex prefeita já deixou claro que, o candidato escolhido pelo Governador, sendo bom para Bom Conselho, será apoiado por ela.

O Governador fez despachos oficiais na casa da ex prefeita, atendeu lideranças, recebeu pré candidatos e algumas autoridades. Fez questão de atender a todos antes de seguir com sua agenda oficial. Foi uma tarde extremamente proveitosa e gratificante, que reforçou o prestígio e o respeito que o mesmo tem com o nome de Judith Alapenha. É só pensar bem... afinal de contas, por que só uma liderança de oposição em Bom Conselho teve o privilégio de receber o governador do Estado e futuro candidato a presidente em sua casa?

É inegável a relevância do papel de Judith Alapenha nas eleições deste ano e nas de 2016. Apesar de difícil, a decisão de não se omitir nessas eleições, apesar de ser a mais cômoda, foi tomada com base nesse cenário. O Governador tem acesso às pesquisas, bem como o prefeito tem também, bem como nós lá de casa temos também, e sabemos exatamente quanto vai pesar o nome Judith Alapenha na contabilização dos votos esse ano. A visita do Governador em nossa casa só reforçou esse fato. E pra quem sabe das coisas, é fácil concluir que ela continua com muito voto, e prestígio.

Confesso que acredito que essa visita pegou muita gente de surpresa. Há quem diga que teve até gente seguindo a comitiva do Governador, ao sair da casa do prefeito, pra ver se ele realmente estava indo visitar a ex prefeita. A surpresa deles não foi a nossa, uma  vez que uma parceria de mais de 6 anos, quando ainda ela era pré candidata à prefeita, não vai deixar de existir, mesmo agora, quando a nossa opção seria por um afastamento maior da política. Mas como citei anteriormente, pelo bem da nossa terra, temos que defender com unhas e dentes o nome de Paulo Câmara para governador do estado.

Abaixo, você confere mais algumas imagens exclusivas e não divulgadas da visita do Governador e futuro presidente Eduardo Campos à casa da ex prefeita Judith Alapenha.


Eduardo Campos, Judith Alapenha e Lucas Ramos


Parceria que já trouxe e continua trazendo obras e ações para Bom Conselho


Fernando Bezerra Coelho, pré candidato ao Senado, Judith Alapenha, Paulo Câmara, pré candidato a Governador, e Lucas Ramos, pré candidato a deputado estadual



Chapa quase completa da ex prefeita Judith Alapenha: Lucas Ramos deputado estadual, Fernando Bezerra Coelho senador, Eduardo Campos Presidente e Paulo Câmara Governador. Só falta o deputado federal.

Ex prefeita Judith Alapenha com o futuro Governador de Pernambuco, Paulo Câmara

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Encontro com amigos

No último domingo tivemos o prazer de acompanhar o torneio de futebol no sítio Caibros, junto à ex prefeita Judith Alapenha, que recebeu daquela comunidade uma acolhida toda especial. Além de rever velhos amigos, recebemos novo convite do amigo Fabiano de Terezinha, juntamente com o ex vereador Luizinho da Malharia, para nova confraternização em sua casa, na cidade vizinha.

Na segunda estivemos lá, onde foi feito o registro fotográfico desse encontro. Boas conversas, boa comida e muita bebida, para brindar novas amizades. Queremos agradecer a acolhida do amigo Fabiano, e reiterar nossa presença na cavalgada a ser realizada em março próximo.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Quando a fase é ruim, até pagamento de salário vira notícia!

Foi com muita estranheza que eu li nota ontem divulgada pela assessoria de comunicação da Prefeitura de Bom Conselho "comemorando" o pagamento do décimo terceiro salário aos servidores municipais. Como de costume, mais uma medida anunciada com um entusiasmo desnecessário, e por vezes, até inadequado.

Fazendo uma comparação com a administração anterior, coisa que o prefeito gosta de fazer em seus pronunciamentos, eu lembro bem que a ex prefeita Judith Alapenha adiantava metade do décimo terceiro salário, para todos os funcionários, já em junho, pra que todo mundo pudesse aproveitar o período junino de bolso cheio. Mas nem fazendo isso ela criava tanto alarde.

Agora, o prefeito paga o décimo terceiro integral a boa parte dos funcionários (os funcionários da educação já haviam recebido metade em outubro, salvo engano), e faz festa, dizendo que o pagamento poderia ser realizado dia 20, mas que está adiantando uma semana. Ledo engano. Mal sabe ele que, por lei, metade do décimo terceiro salário deve ser pago até o dia 30 de novembro a todos os funcionários, algo que não foi feito agora. Com a distribuição da nota de ontem, logo se vê que o prefeito fez questão de dizer, pelos meios de comunicação diversos, que descumpriu a lei.

Com uma assessoria jurídica que protagonizou uma cena daquelas no plenário da Câmara, quando um dos advogados do prefeito passou informações incorretas sobre o índice de gastos com pessoal da folha de pagamento na gestão passada, não era de se estranhar que a mesma assessoria deixasse o prefeito passar por semelhante vexame, agora.

Lamentável.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

E não é que o Miltinho recebeu!

Recebemos a informação, agora confirmada pelo próprio artista, que após menção neste blog o cantor Miltinho Magalhães finalmente recebeu, nos últimos dias, seu cachê referente ao show realizado na edição deste ano da Forróbom, no dia 23 de junho. Ficamos felizes em saber que este blog contribuiu para que um erro da gestão virasse agora, embora tarde, um acerto. Não sabia que algo escrito aqui fosse lido e valorizado pelos que fazem a administração municipal, dada a reação quase que odiosa de alguns aliados do prefeito ao ler o que é escrito aqui. Mas ficamos mais felizes pelo Miltinho, que se mostrou aliviado após o pagamento.

Ponto positivo para a equipe da prefeitura, que resolveu o problema. E para que fique bem claro, merece o registro aqui no blog, não só na hora da crítica, mas também da solução. Agora, há de se destacar um ponto negativo também, para que não se repita. Como um problema de meses foi resolvido em poucos dias, depois da "zuada"? Será que é preciso fazer alarde pra poder receber da prefeitura de Bom Conselho?

Creio eu que o pagamento tenha saído tão rápido porque a polêmica postagem aqui no blog deve ter mexido no que mais atormenta a administração municipal: a propaganda negativa. A propaganda, ela mesma, colocada mais uma vez em primeiro plano, a despeito de tantas outras coisas mais importantes. Quem sabe mais um erro a ser consertado... 

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Nada de presos políticos, eles são é políticos presos

Artigo excelente e pertinente do José Nêumanne, publicado no Estadão. Vale a pena ver!

Nada de presos políticos, eles são é políticos presos

José Nêumanne


Base petista não entra nesse papo furado da prisão “injusta” dos apenados do mensalão

O Partido dos Trabalhadores (PT) tem dado, ao longo destes seus 34 anos de existência, lições de militância e democracia interna que seriam capazes de matar de inveja seus adversários, normalmente agremiações disformes com cabeças imensas e praticamente sem pernas. Sendo assim, como manter os pés no chão, não é mesmo? É possível contestar a afirmação feita acima argumentando que os petistas traíram seus ideais pelo poder e agora fazem o diabo, no dizer da presidente Dilma Rousseff, para se manterem nele. Isso, contudo, não desmente a afirmação feita de início, comprovada na recente reeleição direta de seu presidente nacional, Rui Falcão, que reafirmou a aposta pragmática na aliança multipartidária.

Esta não é apenas da cúpula, mas também da base, conforme confirmou a votação por ele recebida.

A condenação dos ex-presidentes nacionais do PT José Dirceu e José Genoino por corrupção e formação de quadrilha, todavia, está desafiando a comunhão de convicções e ideais entre a cúpula e as bases petistas, que tem sido a regra na história do partido desde sua fundação. Desde que a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) resistiu às constrangedoras pressões do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para adiar o julgamento do escândalo de corrupção na compra de apoio parlamentar para seu primeiro governo, o famigerado mensalão, a cúpula petista tem tentado evitar que esses senhores respondam perante a Justiça pelos crimes comuns que cometeram. O argumento de que o processo, transmitido pela televisão, influiria negativamente nas eleições desmoronou ante a sólida sensatez da maioria do colegiado. E, depois, sob o peso dos fatos, pois não houve influência alguma da exposição das vísceras do partido no poder nas disputas eleitorais municipais do ano passado. Ao longo do julgamento, a direção do PT vendeu a fantasia do “caixa 2” e, com as condenações e depois das ordens de prisão, passou a desqualificar o STF.

Os 11 ministros reunidos passaram a representar o espírito revanchista da direita desalojada do poder pelos bravos companheiros de jornada e o Poder Judiciário teria assumido o papel de destruidor das conquistas populares obtidas nos oito anos de mandato de Lula e quase três de Dilma. Tal argumento não resiste, porém, nem aos fatos nem à lógica.

Oito desses ministros foram nomeados pelos presidentes petistas. E tanto o presidente da Corte à época do julgamento, Ayres Britto, quanto o relator que foi alçado à presidência, Joaquim Barbosa, votaram no PT. O primeiro, que teve um comportamento exemplar no processo, chegou a fazer parte das bases, da aguerrida militância petista.

O coro de desmanche moral dos ministros do STF, puxado por Rui Falcão, tem encontrado eco nos diretórios regionais escolhidos no mesmo processo eleitoral. Exemplo notório disso foi o tom dos discursos de todos os oradores que prestigiaram a posse do prefeito de Maricá, Washington Quaquá, no comando do PT no Estado do Rio. Do próprio Quaquá à representante da bancada federal fluminense do PT, Benedita da Silva, eles manifestaram irrestrita solidariedade aos companheiros apenados e presos e execraram a “injustiça” do Supremo. Dirceu, Genoino e Delúbio Soares – ex-tesoureiro do partido que lidera a aliança governista federal – foram chamados de “heróis” e “guerreiros”, vítimas da direita e da grande imprensa.

Os três se dizem “presos políticos”, mas, de fato, como dizia o saudoso comentarista Joelmir Beting, não passam de “políticos presos”. A diferença, que os discursos de Quaquá e Benedita não conseguem encobrir, é que a primeira denominação define condenados que ousam desafiar o poder estabelecido e a segunda, homens públicos que cumprem pena por crimes comuns, como furto e formação de bando (daí o substantivo bandido).

A lição do gênio do marketing do nazismo, Josef Goebbels, segundo a qual a insistência da propaganda pode transformar uma mentira em verdade, contudo, não parece estar surtindo efeito nessa chantagem subversiva da direção do PT contra a cúpula do Judiciário. O Datafolha divulgou – no mesmo fim de semana em que os dirigentes petistas fluminenses tentavam transformar meliantes comuns, condenados por formação de bando para desviar dinheiro público, em mártires – pesquisa que revela com clareza a discrepância entre o discurso da direção e a convicção dos militantes.

O Datafolha ouviu 4.557 pessoas em 194 municípios brasileiros. Entre elas, 86% acharam que o relator do mensalão e presidente do Supremo, Joaquim Barbosa, agiu bem ao mandar prender os mensaleiros condenados no feriado de 15 de novembro, dia da Proclamação da República. Somente esse número já poderia bastar para a cúpula petista pensar duas vezes antes de prosseguir em sua teimosa e mendaz campanha para satanizar o Poder Judiciário, sobre cujas costas pesa a responsabilidade da manutenção de regras sem as quais a democracia, que é o império da lei, sucumbiria. O interessante nessa pesquisa é que 87% dos entrevistados que se disseram “adeptos do PT” manifestaram opinião idêntica.

Juristas de nomeada têm socorrido os dirigentes petistas na defesa da hipótese de que o presidente do STF teria mandado prender os réus cujo processo foi dado como “passado em julgado” para “se promover pessoalmente”, não tendo agido “com justiça” nem feito “o que deveria ser feito”. Entre os entrevistados, 78% discordam dessa teoria. Dos que se dizem petistas, 80% concordaram com a maioria e discordaram dos maiorais. É previsível que estes tentem desqualificar a pesquisa por ser o instituto ligado a um jornal da “grande imprensa”. Mas fariam melhor pelo PT se respeitassem a lógica, o amor à verdade e o ódio à corrupção que a população e os petistas da base dizem ter.

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Cinco meses, e artista da Forrobom ainda não recebeu

Lembra quando eu manifestei preocupação quanto aos milionários custos da Forrobom deste ano, sem que houvesse uma contrapartida proporcional pelo Governo do Estado, ficando boa parte do pagamento para o já sofrido município de Bom Conselho? Pois é, parece que eu tinha razão.

Essa semana, o cantor Miltinho Magalhães postou na rede social Facebook o que alguns, como eu, já desconfiavam: o mega calote que alguns artistas podiam ganhar de brinde junto com o seu trabalho. O cantor escreveu no seu perfil pessoal, como vocês podem ver abaixo: "ATENÇÃO Prefeitura Municipal de BOM CONSELHO, já pode me pagar o cachê do Forró Bom quando quiser!!! Rsrsrsrs..."

Clique para ampliar

O desabafo do artista já recebeu mais de 40 comentários. Em um deles, Nando Azevedo, outro grande artista da nossa região, questiona: Se fosse um artista da Globo já teria sido pago antes da apresentação... fico arretado com essas coisas!

Grandes festas e grandes eventos parecem ser uma das prioridades desse governo, a julgar pelo pouco tempo que estão à frente da administração municipal. O problema é quando o prefeito resolve dar um passo maior do que a perna, como parece ter sido neste caso. A falta de experiência administrativa e o sentimento de "poder fazer o que quiser" gera agora uma consequência lamentável para os artistas que trabalharam duro para fazer uma das maiores edições do nosso São João. Por tabela, vai pro lixo também o nome do nosso município, que fica com fama de mal pagador.

Agora, a gente fica sem saber direito os motivos que levam a uma demora dessas. Pior ainda é outra dúvida: será que essa é uma questão isolada, ou os outros artistas e fornecedores também não receberam? Se assim for, a situação se agrava bem mais. Não cabe a mim saber disso, mas essa seria uma boa pauta de discussão para o plenário da Casa de Dantas Barreto, cuja função é justamente fiscalizar os atos do Poder Executivo. Com a palavra, os nossos Edis.

Em contato com o cantor Miltinho Magalhães, tivemos a informação do mesmo que, a persistir a demora, o mesmo pretende acionar judicialmente o Município de Bom Conselho, e aí a conta fica mais cara do que se o pagamento, ínfimo, tivesse sido realizado logo após a festa.

As imagens e a a versão dos fatos foram devidamente autorizadas pelo artista Miltinho Magalhães, antes de serem postadas aqui. Mais uma vez, a gente abre espaço, através do contato do nosso blog (felipe.alapenha@hotmail.com) para que a Prefeitura de Bom Conselho possa dar sua versão dos fatos.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Um mês se passou, e nada de resposta da Câmara de Vereadores


Lembra da estabanada votação para apreciação das contas anuais do exercício financeiro de 2011? Sim, aquela mesma que tentou colocar a ex prefeita Judith Alapenha no rol dos fichas sujas, sem sucesso? Pois bem, logo após aquela votação, a ex prefeita Judith buscou, através de sua assessoria jurídica, documentações que caracterizassem bem o julgamento POLÍTICO a qual ela foi submetida. Vamos relembrar o ofício enviado à Câmara de Vereadores, dois dias após aquela votação.


E a prefeita Judith teve uma resposta, que, infelizmente, chegou incompleta. A Câmara Municipal de Bom Conselho, representada pelo seu presidente GENIVAL CAVALCANTE TAVARES enviou boa parte da documentação solicitada, mas esqueceu do principal: A JUSTIFICATIVA DOS VOTOS CONTRÁRIOS AO PARECER DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO. Sete vereadores, que agora toda Bom Conselho sabe quem são, votaram contra o parecer do Tribunal. E a justificativa que nos foi enviada foi que o voto dos vereadores era secreto. E nada mais!

Em um tempo que se cobra cada vez mais transparência dos agentes públicos, a Câmara Municipal de Bom Conselho, representada pelo seu presidente GENIVAL CAVALCANTE TAVARES omite uma informação que a sociedade cobra. E vai continuar cobrando! Pois vereador nenhum, eleito pelo povo, pode pautar suas ações sem dar uma justificativa a esse mesmo povo. Vossas Excelências precisam explicar o que é que tem de errado nas contas da ex prefeita para que o parecer de vossas excelências foi de rejeitar essas contas, aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado!

Vereador Geninho Tavares, esse blog vai manter um canal aberto para que os vereadores desta Casa, representado por vossa excelência, possa disponibilizar as devidas justificativas solicitadas. Mais de um mês se passou, e nenhuma justificativa de verdade nos foi dada.

Aguardamos também, com ansiedade, qual será o comportamento desta Casa quando da votação das contas do exercício financeiro de 2009, que será votada em fevereiro de 2014.